A CRISE DA REGIÃO CACAUEIRA DO SUL DA BAHIA/BRASIL E A RECONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE DOS CACAUICULTORES EM CONTEXTO DE ADVERSIDADES

Maria Cristina Rangel, Celene Tonella

Resumo


A região cacaueira do Sul da Bahia se configurou tendo como base a concentração da terra, do poder político nas mãos dos coronéis do cacau e da precarização socioeconômica dos trabalhadores. Esse tripé de desenvolvimento foi mantido com a contribuição do Estado brasileiro entre 1930-1980, quando, após esse período, este rompeu com a forma costumeira de intervenção nos momentos de crise. Nosso objetivo é contextualizar o processo de transmutação identitária dos cacauicultores na crise, mostrar os traços aglutinadores, a identidade como relação e instrumento de poder, os conflitos internos, as diferenciações e hierarquizações.  Analisamos 301 e-mails entre 27 fevereiro de 2009 e 19 de novembro de 2010, disponíveis na Lista do Cacau; 34 entrevistas baseadas na história oral temática; dados estatísticos coletados em sites oficiais e referências bibliográficas sobre território, identidade e a história regional. Desse material discursivo, selecionamos os traços autoidentitários dos cacauicultores; os que, segundo eles, lhes são atribuídos pelos “outros” e os que eles atribuem aos “outros. Para subsidiar a discussão sobre identidade, recorremos à Woodward (2011), Silva (2011) e Hall (2006). A análise da construção e uso da identidade como instrumento de poder foi baseada em Foucault (2009, 1979 e 2000).


Palavras-chave


Crise da região cacaueira do Sul da Bahia; Relações de poder; Território;

Texto completo:

PDF (baixado




ISSN 2175-862X (on-line)